Capacidade da Amazônia de remover gás carbono se reduziu em 30% desde 1990, alertam cientistas

15/09/2021

 

Enquanto diplomatas que negociam o acordo global do clima trabalham com um cenário otimista para a floresta, o IPCC (painel de cientistas da ONU sobre o tema) tenta atualizar os dadosA preservação da Amazônia é importante para conter a emissão de gases do efeito estufa. Suas árvores não apenas guardam carbono (daí a importância em evitar desmatamento) como removem CO2 do ar. A capacidade de cumprir essa segunda função, porém, está perdendo força com o próprio aquecimento global, mostram estudos recentes. Por causa disso, os diplomatas que negociam o acordo do clima trabalham agora com um cenário otimista demais para a floresta, enquanto o IPCC (painel de cientistas da ONU) busca atualizar os dados.É normal que o IPCC esteja um pouco defasado em relação à ciência de ponta sobre o assunto, porque é um fórum que avança pelo debate. É preciso tempo para discutir as pesquisas. Esse descompasso com as observações na Amazônia, que pode ser corrigido até o ano que vem, afeta uma ferramenta essencial do painel: as previsões dos modelos matemáticos do clima.Veja o texto na íntegra: O GloboO Globo não autoriza a reprodução do seu conteúdo na íntegra. No entanto, é possível fazer um cadastro rápido que dá direito a um determinado número de acessos.

Créditos: http://www.jornaldaciencia.org.br/edicoes/?url=http://jcnoticias.jornaldaciencia.org.br

Avenida Lins de Vasconcelos, 2334 • Vila Mariana • 04112-001 • São Paulo • SP
Tronco-chave: (0.xx.11) 5084-2482
Filial MG: (0.xx.31) 3285-2977 e 3221-1904 • Filial PE: (0.xx.81) 3221-0700 e 3222-2808
Copyright © 2021 por editora HARBRA. Todos os direitos reservados.