Como recuperar o tempo perdido na educação brasileira

22/02/2021

 

Enquanto governo busca legalizar ensino domiciliar, pandemia leva a retrocesso no setorA educação entrou na lista de prioridades do governo federal para este ano legislativo, mas não exatamente pelos motivos que especialistas da área consideram cruciais. É verdade que a pandemia reavivou o debate sobre o ensino domiciliar, que o Supremo Tribunal Federal não reconheceu como legal em 2018, por falta de lei que o regulamente, e que o governo agora quer tornar oficialmente uma opção. Mas a pandemia também levantou inúmeras outras questões sobre educação que especialistas consideram mais importantes.“O problema não é o ensino domiciliar ser bom ou ruim, mas colocá-lo como pauta prioritária nas casas legislativas, num país com déficit de educação gigantesco, onde menos da metade das crianças é alfabetizada até os oito anos”, diz Denis Mizne, diretor-executivo da Fundação Lemann. Ele diz que essa é uma demanda de menos de 1% das famílias. Para os outros 99%, a grande questão atual é como garantir qualidade no aprendizado em meio aos desafios que a pandemia continua impondo.Veja o texto na íntegra: ValorO Valor Econômico não autoriza a reprodução do seu conteúdo na íntegra para quem não é assinante.

Créditos: http://www.jornaldaciencia.org.br/edicoes/?url=http://jcnoticias.jornaldaciencia.org.br

Rua Joaquim Távora, 629 • Vila Mariana • 04015-001 • São Paulo • SP
Tronco chave: (0.xx.11) 5084-2482
Filial MG: (0.xx.31) 3285-2977 e 3221-1904 • Filial PE: (0.xx.81) 3221-0700 e 3222-2808
Copyright © 2021 por editora HARBRA. Todos os direitos reservados.